Com o fim de 2017, é hora de colocar em prática os planos para o ano novo. Isso inclui, nas empresas, a adesão a novas tecnologias para a expansão de resultados e o aumento de produtividade. Ou ao menos é assim que elas deveriam pensar.

Por isso, o post de hoje reúne algumas das tendências que mais influenciarão a rotina das pequenas e médias empresas (PMEs) no próximo ano. Continue a leitura e veja quais delas podem ser inseridas na realidade da sua organização.

Implementação da cloud computing

Um dos maiores benefícios tecnológicos que estão chegando é a possibilidade de migrar quase toda a Tecnologia da Informação (TI) de uma empresa para a nuvem. A cloud computing proporciona, entre outras vantagens, economia tanto de espaço físico quanto de investimento.

Isso porque, com as ferramentas na nuvem as empresas não precisam investir na compra de um software para cada usuário nem providenciar infraestruturas complexas de TI.

Além disso, as plataformas de software como serviço (Software as a Service – SaaS), que funcionam via nuvem, permitem acesso remoto por meio de vários dispositivos — como tablets, notebooks e smartphones. Dessa forma, todos podem participar de uma reunião: os que estão na organização, aqueles que estão em uma viagem corporativa e até colaboradores que trabalham em casa.

Plataformas de conversação para PMEs

Com o avanço dos chats, a tradução de uma intenção não é mais responsabilidade do consumidor e, sim, da plataforma de conversação. Ao receber um comando, os robôs analisam seu conteúdo e oferecem resultados condizentes com a busca ou solicitam mais informações para concluir a pesquisa e entregar exatamente aquilo que foi solicitado.

O objetivo é exibir resultados com base na experiência de usuário armazenada. Atualmente, a maioria dos chats não é capaz de interpretar: eles apenas entregam informações com base em palavras específicas que o cliente escreve.

Esse tipo de experiência pode frustrar os menos familiarizados. As empresas podem integrar esse sistema, de forma que a plataforma consiga inclusive acessar informações e serviços de outras empresas para atender às expectativas do usuário.

Os benefícios de impressoras 3D

Muitas pessoas ainda acham que impressoras 3D são ferramentas de um futuro distante, mas a verdade é que essa ferramenta inovadora já está afetando a produção em PMEs no mundo inteiro — e, em 2018, é bem provável que auxilie também a sua empresa.

Impressoras 3D permitem, por exemplo, a produção de pequenos lotes de produtos para o mercado sazonal com um custo bem menor do que a produção por escala. Outra vantagem é que com esse equipamento é possível produzir protótipos funcionais para que se avaliem os resultados antes de investir na fabricação de grandes lotes.

A tendência é que, com o passar dos anos, a qualidade seja aprimorada e o custo diminua. Isso vai tornar a tecnologia bastante acessível.

Evolução da jornada de compra

O uso de cartões de crédito tem crescido paralelamente ao número de compras realizadas pela internet. E-commerces vêm se tornando cada vez maiores e as pessoas se familiarizaram com a aquisição de mercadorias via web — tanto assim que até as lojas físicas estão oferecendo opções digitais de compra.

Por isso, é vital que lojas invistam em soluções móveis para que os consumidores possam fazer suas compras pelo celular. As pessoas passam muito mais tempo conectadas por meio de smartphones do que por desktops. Ou seja, não investir em um aplicativo de compra hoje equivale a não ter um site no início dos anos 2000.

Além disso, os apps são um ótimo canal de comunicação entre empresa e consumidor. E as organizações que conquistam boas avaliações conseguem atrair muito mais clientes.

A experiência imersiva

Antes de falarmos sobre ela, é preciso entender as diferenças entre as realidades virtual e aumentada. Na primeira, o usuário é inserido em um universo virtual com projeções em 3D — ou seja, as ações tomadas no mundo real são reproduzidas no universo digital.

Na realidade aumentada, objetos virtuais é que são inseridos em nossa realidade, como os monstrinhos de PokémonGo que aparecem na frente das câmeras de celulares. Na experiência imersiva, o que acontece é uma fusão de conceitos dessas duas tecnologias para otimizar ainda mais a jornada do usuário.

O objetivo no mundo corporativo é aumentar o desempenho dos colaboradores usando essa experiência imersiva para melhorar a percepção e a interação com o mundo digital.

Moedas virtuais

Já imaginou poder administrar todo o dinheiro que entra e sai de sua empresa sem depender de intermediadores bancários ou governamentais? Com a tecnologia blockchain, isso é totalmente possível e de forma segura.

Quando a empresa opta por utilizar as moedas virtuais como forma de pagamento, ela recebe um registro e uma cópia digital do registro de valores e ativos existentes na web. Toda vez que alguma mudança econômica acontece, todos os registros recebem atualização automática e todos ficam sabendo do que aconteceu.

Em resumo, os valores são transmitidos de uma conta para outra sem o uso de serviços bancários e as notas fiscais são substituídas por códigos criptografados e imunes a falsificações.

Apesar de ainda engatinhar, as moedas virtuais prometem facilitar — e muito! — a vida de PMEs, principalmente ao revolucionar a forma como pagamentos são feitos e recebidos, sempre com o objetivo de trazer comodidade ao consumidor final.

Jornada sem ruídos

Trata-se de um sistema que promete revolucionar a forma como as pessoas fazem negócios. O objetivo da jornada sem ruídos é permitir que um cliente consiga percorrer todas as etapas de compra sem precisar de interação humana para concluí-la.

Para isso, ele baixa os aplicativos das lojas que deseja visitar e, quando for ao estabelecimento físico, tem a oportunidade de ver os produtos reais e também em versões virtuais no smartphone.

Assim que escolher o que deseja levar, pode fazer o pagamento pela própria plataforma, retirar o produto e ir embora. Tudo isso sem a intervenção de vendedores nem atendimentos de caixa.

A primeira loja a investir nessa tecnologia no Brasil foi a Omnistory, do Grupo GS& Gouvêa de Souza (localizada no Shopping Villa Lobos, em São Paulo). A estrutura do negócio pode ser conferida nesse vídeo. É bem provável que esse modelo chegue a outras redes em pouco tempo.

Um dos maiores benefícios da TI para PMEs é a redução de custos obtida com a automação de processos, o descarte de processos ineficientes e a integração de sistemas.

Deu para notar que existe muita novidade tecnológica chegando por aí, não é mesmo? O melhor de tudo é que muitas das tendências de TI têm surgido com o objetivo de aumentar a segurança de dados e democratizar o acesso à informação.

Fique atento e esteja aberto às novidades para que sua empresa possa aproveitar ao máximo as novas tecnologias. Para se manter bem informado, leia nosso post sobre como a TI pode ajudar na redução de custos.